RG+ Blog

Qual a maneira correta de respirar durante a corrida? Pelo nariz ou pela boca?

Quando o assunto é corrida, não faltam dúvidas sobre a respiração. Algumas delas: qual a importância de uma respiração correta para o rendimento da corrida? Como é a forma correta de respirar? Pelo nariz ou pela boca? Aquela dor lateral que aparece muitas vezes quando corremos tem a ver com a respiração?

Vamos tentar esclarecer esses questionamentos!

Sim, respirar corretamente contribui e muito para o sucesso na corrida, isso porque quando corremos, nosso corpo tem que fornecer constantemente oxigênio aos músculos para que eles possam ter energia e providenciar a força necessária. E, para isso, nossos pulmões têm que trabalhar mais e de forma eficiente para absorver a maior quantidade possível de oxigênio, que supra não somente as necessidades fisiológicas do corpo, como a imposta pelo esforço da atividade.

E o que significa respirar corretamente? Significa respirar da forma mais natural possível, seguindo as necessidades do corpo.

Teoricamente, a melhor forma de respirar é pelo nariz, pois o ar entra nos pulmões aquecido e filtrado. Porém, durante a corrida, dependendo do nível de condicionamento do praticante e da intensidade, muitas vezes é necessário usar a boca tanto na inspiração, para permitir uma maior entrada de oxigênio, como na expiração, para uma maior liberação de dióxido de carbono.

Sendo assim, combine inspirações e expirações pelo nariz e pela boca de acordo com a necessidade do seu corpo.

Mas, existe uma técnica comprovada que pode melhorar a captação do ar e aumentar a oferta de oxigênio para os músculos e melhorar o desempenho. Tal técnica é a respiração abdominal ou diafragmática.

O diafragma é um músculo que separa as cavidades torácica e abdominal. Quando inspiramos, este músculo se contrai empurrando o conteúdo abdominal para baixo, aumentando desta forma a capacidade torácica. Neste processo, o ar tende a entrar nos pulmões para compensar o vazio gerado. E quando ele relaxa, o ar é expelido. Mas, para que este padrão se torne automático, é preciso praticar.

Outro aspecto a ser abordado é a importância de estabelecer um ritmo respiratório, a fim de obter e eliminar constantemente a quantidade ideal de ar. Uma boa forma de encontrar este ritmo é coordenar a respiração com os passos da corrida. Para isso, existem algumas técnicas de sucesso utilizadas pelos corredores mais experientes, como por exemplo, estabelecer o ritmo 2:2 (inspirar durante 2 passos e expirar durante 2 passos), 3:3 (inspirar durante 3 passos e expirar durante 3 passos), 3:2 (inspirar durante 3 passos e expirar durante 2 passos) ou 2:1 (inspirar durante 2 passos e expirar durante 1 passo).

Por fim, uma questão inconveniente que inferniza a vida de muitos corredores: a dor lateral no abdômen.

Embora ainda não se saiba a causa precisa, muitos especialistas acreditam que tenha relação com a perda do ritmo respiratório, pois esta perda pode gerar uma sobrecarga no músculo diafragma provocando espasmos e consequentemente dor. Mas existe ainda outra teoria de que correr com má postura pode comprimir nervos que vão da parte superior das costas até o abdômen ou ainda aumentar a fricção sobre o peritônio (membrana que circunda a cavidade abdominal), causando essa dor.

Independentemente da causa, o aconselhado para aliviar a dor é diminuir o ritmo e fazer respirações profundas e controladas. E, na dúvida procure melhorar a postura, pois será importante não só para a corrida, como para a sua vida.

Fonte: Clarice Penna Firme

Adicionar comentário